Rua Ernesto Moreira, Caldas da Rainha

E se a sua Marca fosse uma pessoa?

Tudonumclic - Marcas Super Herois

Como ela seria? Homem ou mulher? Qual a idade? E o que faria? Quais os seus sonhos, os seus medos? O tipo sanguíneo? Responder a essas perguntas é o pontapé inicial pra pensar sob a teoria dos arquétipos. Funciona quando queremos humanizar as Marcas. Ajuda a definir como ser percebida pelo público.

Uma Marca não é o que você fala dela, mas o que falam dela quando você não está na sala. É a percepção do outro.

A psicologia e a comunicação sentaram-se juntas na mesa de um bar

A teoria dos arquétipos foi criada por Jung para se referir às experiências humanas transmitidas através de mitos, lendas e contos de fada. Cada arquétipo é uma personagem na nossa saga nesse mundo. São os modelos de vida, as possibilidades da mente. As representações do nosso inconsciente coletivo.

Joseph Campbell fala em “Mito e Transformação” que, durante a Grande Depressão nos Estados Unidos, foi pro interior, onde ficou cinco anos. Ele costumava passar o tempo a ler. Começou a perceber padrões de narrativas e trouxe pra roda as obras de Sigmund Freud e Carl Gustav Jung.

Freud entendia que as ações das pessoas seriam explicadas por uma área da mente chamada Inconsciente. Um lugar atrás do véu daquilo que julgamos conhecer. Ele debruçou-se sobre os paralelos observados entre o conteúdo dos sonhos e os temas dos mitos.

Jung foi mais além: introduziu o conceito de inconsciente coletivo. Ele identificou, nas mesmas histórias, arquétipos: “o rio por onde a nossa psique naturalmente flui”. Só aí podemos encontrar o significado e o sentido das histórias. São análogas à nossa experiência humana, representações da nossa natureza.

Em 1944, depois de estudar bastante sobre psicologia, Campbell publicou o seu livro mais famoso: O herói de mil faces.

Segundo ele, o monomito é uma espécie de jornada arquetípica que aparece nas religiões, nas lendas e nas histórias de ficção. Sempre há um herói. Ele passa por vários momentos que o levam a encontrar “a sua verdadeira identidade”. O herói transforma-se.

O herói somos todos nós.

Viver tem lá os seus desafios.

Por isso conectamo-nos com as histórias dos livros, filmes, séries e banda desenhada.

Por isso também tem-se falado tanto em storytelling corporativo. São tempos de excesso de informação. O seu anúncio concorre com as animações da Pixar e os livros de Neil Gaiman. Qual deles prende mais a atenção?

A boa notícia é que existe uma técnica por de trás das boas histórias. É a forma que ela assume através da técnica e das palavras que usamos.

Para começar a usar o storytelling é preciso humanizar a sua Marca. Personagens têm falhas e fraquezas. Abrace as suas. Aprenda com elas. Personagens relacionam-se uns com os outros: ajudam-se ou batalham entre si. Como posiciona-se em relação aos seus “atentos”?

Se for um passo à frente, vai entender que eles são os verdadeiros heróis a serem transformados. O que tem para oferecer?

Se a sua Marca fosse uma pessoa, quais os desafios que iria enfrentar agora?

Leave feedback about this

  • Quality
  • Price
  • Service
Choose Image
error: ©Direitos Reservados !!
Abrir chat
1
O que podemos oferecer-lhe hoje?
Scan the code
Suporte Tudonumclic
Olá,
Temos sempre alguém pronto para falar consigo. Em que podemos ajudá-lo?