Rua Ernesto Moreira, Caldas da Rainha

O impacto das notícias falsas

Tudonumclic - Notícias Falsas

O termo notícias falsas foi escolhido como a palavra do ano de 2017 pelo dicionário Collins, que a define como: “informações falsas, geralmente sensacionalistas, disseminadas intencionalmente sob o pretexto de notícias”. São, portanto, principalmente notícias de motivação política, destinadas a manipular os cidadãos.

A sociedade de hoje está em constante inovação e mudança. A chegada das tecnologias de informação e comunicação (TIC) trouxe muitos benefícios para a vida dos cidadãos. Entre eles, o acesso imediato à informação através de diferentes portais da web permite que a sociedade se mantenha atualizada com as últimas notícias e desenvolvimentos de informação em todo o mundo.

No entanto, o uso político, mediático e social do conceito de notícia levou a numerosos exercícios de manipulação de informações. A facilidade de publicação na rede digital significou que o material informativo pode ser distribuído com um mínimo ou nenhum contraste de fontes. Atualmente, essas informações informativas ”são chamadas de notícias falsas”.

O termo notícias falsas foi escolhido como a palavra do ano de 2017 pelo dicionário Collins, que a define como: “informações falsas, geralmente sensacionalistas, disseminadas intencionalmente sob o pretexto de notícias”. São principalmente notícias de motivação política, destinadas a manipular os cidadãos. É pertinente distinguir entre o conceito de notícias falsas e notícias tendenciosas que intencionalmente não dizem a verdade.

Essa ideia está ligada a um dos eventos mais importantes em que o termo de notícias falsas foi mais relevante. Em 2016, com a vitória de Donald Trump nas eleições nos EUA, várias investigações confirmaram que um total de 115 notícias falsas foram produzidas em favor do atual presidente dos EUA durante o período da campanha eleitoral. Essas notícias foram compartilhadas pelo Facebook 30 milhões de vezes, em comparação com 41 notícias falsas em benefício de Hillary Clinton compartilhadas em 7,6 milhões de ocasiões.

É importante abordar a origem das notícias falsas e porquê que elas são escritas e compartilhadas pelas mídias sociais. É pertinente diferenciar a sua origem, entre aquelas que não são criadas pelos seres humanos e as que são. No primeiro caso, são bots sociais e cyborgs projetados para apresentar um comportamento semelhante ao humano e produzir automaticamente conteúdo e interagir com humanos nas mídias sociais.

Por outro lado, existem as notícias falsas distribuídas e projetadas por humanos, que se tornam propagadoras de notícias pela web. É especialmente comum que as notícias falsas sejam distribuídas através de grupos sociais nas redes sociais, gerando um eco envergonhado entre a comunidade digital.

Desde então, o aumento de notícias falsas na rede digital tem sido tal que, na última pesquisa Eurobarometer, 83% dos entrevistados afirmaram estar preocupados com a desinformação deliberada, especialmente para direcionar e influenciar os próximos dias de votação. Esse é um fenómeno que vem ganhando destaque e cuja chegada teve um impacto negativo em várias esferas da vida, produzindo uma distorção da realidade. Essa ação, por sua vez, levou a uma atmosfera social controversa e a um sentimento de confusão entre os cidadãos.

Como resultado, o estudo de notícias falsas proliferou nos últimos anos. Pesquisas sobre a identificação de notícias falsas podem ser discernidas em diferentes direções. Em primeiro lugar, existem aqueles que afirmam cobrir a deteção de notícias falsas através da criação de modelos tecnológicos, principalmente de inteligência artificial, que permitem a revisão de textos e a verificação de notícias falsas.

Por outro lado, destacam-se algumas propostas internacionais importantes, como a revisão de Cairncross: preparada pelo governo britânico sobre a sustentabilidade da informação ou o relatório da Comissão Europeia sobre a desinformação on-line, entre cujas medidas inclui um código de boas práticas para combater esse fenómeno perigoso.

Em resumo, outro desafio enfrentado pela comunidade de pesquisa nessa disciplina é preparar o público para a circulação em massa de notícias falsas. Entre os principais focos da sua transmissão, as redes sociais são as principais fontes de distribuição de notícias falsas hoje, especialmente no Twitter e Instagram, que provaram ser verdadeiros mecanismos de disseminação política.

Em essência, as notícias falsas são notícias cujas as manchetes são geralmente chocantes e atraentes para que o usuário possa acessá-las: é o fenómeno do isco de cliques (“cyber-shooting”). Nesta linha, existem muitas investigações que visam identificar e interromper as “fraudes de informação” promovidas por meio de redes sociais. Este é um estudo que trabalha no desenvolvimento de modelos que analisam as combinações de léxico, sintaxe e informações semânticas do texto para determinar a veracidade das notícias.

Portanto, e em relação ao exposto, um dos desafios propostos pela comunidade de pesquisa com a chegada das notícias falsas é treinar os cidadãos para que possam detetar notícias falsas. Para atingir esse objetivo, o desenvolvimento da competência digital, mais especificamente, na informação e na alfabetização informacional, é o principal desafio de treinamento para enfrentar a sociedade da informação em que vivemos.

Especificamente, é essencial que, desde tenra idade, os jovens se familiarizem com estratégias de busca de informações confiáveis, diferenciando sites verdadeiros daqueles que não o são, bem como conhecendo algumas das características que compõem as informações falsas. Em consonância com essa ideia, o relatório Cost sobre alfabetização digital na Europa, cujas conclusões foram orientadas para a necessidade de promover a educação baseada nas habilidades digitais, visa que o sistema educacional promova a formação de futuros cidadãos capazes de sobreviver numa sociedade digital e saturada de informação. Para esse fim, recomenda-se que esse procedimento comece, especialmente em tenra idade, com o objetivo de estabelecer padrões de ensino sólidos e de qualidade.

Paralelamente, outros especialistas acrescentam a alfabetização midiática como uma necessidade social, entendida como a capacidade de acessar e analisar a mídia de acordo com as diferentes maneiras de apresentar informações. Este é um campo que abrange diferentes dimensões: linguagem; tecnologia; os processos de interação, produção e disseminação; a análise crítica da informação e estética. Devemos ter em mente o impacto psicossocial que as notícias falsas podem ter sobre a população.

Quando falamos de aspectos psicossociais, referimos-nos à relação que um indivíduo tem com o seu ambiente social. Portanto, quando nos referimos ao impacto psicossocial, estamos nos a referir sobre  o impacto gerado por um indivíduo, ou vários indivíduos, um fato gerado no ambiente social. O que pode levar a uma série de riscos psicossociais, entendidos como os aspetos do ambiente social que pode causar danos psicológicos, sociais ou físicos individuais.

Em suma, é um problema ao nível global e cujas repercussões são alarmantes. Diante dessa situação, a chegada de notícias falsas começou a ser uma tendência nas publicações de impacto nos últimos anos no cenário da pesquisa.

Com o que nos debatemos.

O surgimento do fenómeno das notícias falsas entrou na comunidade científica de maneira vertiginosa. A proliferação desse fenómeno desinformativo levou muitos pesquisadores a concentrar o seu trabalho na análise de diferentes aspetos do assunto.

O objetivo dessa análise foi estabelecer um estado de arte baseado na cientometria que determinasse o status atual da linha de pesquisa de notícias falsas no banco de dados de maior prestígio no momento: web das ciências (WoS). Especificamente, o objetivo era indicar como evoluiu enquanto assunto e localizar os principais focos da publicação.

A grande percentagem de manuscritos encontrados pertencia principalmente à área jornalística, ligada à importância de se conhecer o risco desse fenómeno e como identificar esse tipo de notícia. No entanto, também foi encontrado um número emergente no ramo educacional, o que permitiu ver que as notícias falsas estavam a começar a ser uma preocupação considerável para a comunidade educacional.

Em primeiro lugar, a análise da produtividade diacrónica permitiu analisar que a produtividade em notícias falsas sofreu um crescimento exponencial desde a sua primeira publicação. Em apenas dois anos, o seu desempenho aumentou consideravelmente até o momento, o que continua ascendente nesta fase.

Como indica a lei de Price, a produtividade deve continuar a aumentar até atingir uma fase de crescimento linear. Isso corrobora que o impacto social que o fenómeno das notícias falsas teve na comunidade científica é existente e atual e que isso é confirmado pelo aumento de publicações sobre esse assunto.

No entanto, atualmente, o fenómeno das notícias falsas está associado a mensagens populistas, principalmente relacionadas à esfera política, como estudos anteriores também afirmaram. Da mesma forma, a presença de descritores, como “Twitter” e “web”, no intervalo atual corrobora a ideia de que o canal pelo qual as notícias falsas são enviadas é as redes sociais.

Por fim, a análise da evolução temática apresentou fortes vínculos entre os temas gerados nos diferentes intervalos de tempo. Assim, foram distinguidos links como “contas-mídia-literacia-medialiteracia”, “contas-twitter-comunicação política”, o que poderia aludir à importância de se ter uma literacia de informação que permita distinguir se a origem da informação é oficial, de uma conta falsa ou verdadeira, conforme argumentado por autores de pesquisas anteriores. Além disso, links entre descritores, como “Parody-policy-BIAS”, “ScienceImpact-BIAS”, confirmaram, por um lado, a importância do conceito de notícias falsas, entendidas como notícias que parodiam certos eventos, mas com a intenção de influenciar a população numa certa perceção ou ideia.

Conclusões.

O surgimento de notícias falsas teve um impacto considerável na sociedade, causando um sentimento de rubor e confusão sobre as informações provenientes da rede digital. A sua propagação através da internet  tornou-o um dos fenómenos e preocupações mais alarmantes da sociedade atual. A pesquisa sobre esse assunto tornou-se motivo de interesse no panorama científico. Sem dúvida, a ameaça que esse fenómeno acarreta levou pesquisadores e, portanto, instituições de todo o mundo a começar a estudar esse assunto em profundidade.

Em relação a futuras linhas de pesquisa, defende-se a necessidade de continuar a promover pesquisas que avaliem a adequação das notícias que circulam na rede, bem como promover uma prática educacional apropriada que avise os alunos em diferentes estágios sobre esse perigoso fenómeno.

Conclui-se a ideia de continuar no caminho da promoção de hábitos de vida saudáveis ​​em relação à saúde digital, principalmente ao navegar na Internet e consultar informações. Para isso, será necessário que pesquisas sobre temas, como notícias falsas, continuem num caminho que combine a erradicação do fenómeno, bem como a educação para a prevenção de seu consumo.

Tradução parcial e adaptada do artigo The Impact of Term Fake News on the Scientific Community. Scientific Performance and Mapping in Web of Science de Santiago Alonso García, Gerardo Gómez García, Antonio José Moreno Guerrero, Carmen Rodríguez Jiménez – Department of Didactics and School Organization, University of Granada, Granada 18071, Spain e Mariano Sanz Prieto – Department of Didactics and Theory of Education, Autonomous University of Madrid; Madrid 28049, Spain

Leave feedback about this

  • Quality
  • Price
  • Service
Choose Image
error: ©Direitos Reservados !!
Abrir chat
1
O que podemos oferecer-lhe hoje?
Scan the code
Suporte Tudonumclic
Olá,
Temos sempre alguém pronto para falar consigo. Em que podemos ajudá-lo?